Livro de visitas

Data: 05/01/2018

De: Francisco

Assunto: O Mestre Dunga

Prezados Capoeristas.
Segue o meu depoimento em poucas palavras.

Única foi a minha aprendizagem para a vida com o Respeitável Mestre Dunga. Mais que um Professor de Capoeira , Mestre Dunga foi para mim um instrutor e guia para a vida. Retirei das mandingas da capoeira a arte do bem viver baseado na dignidade, no respeito, na simplicidade e na perseverança frente as adversidades da vida. Nossos treinos no Bairro Padre Eustaquio, no "Terreiro" da casa do Mestre Dunga, aconteciam 2 a 3 vezes por semana à noite. E à meia noite após o treino fazíamos a última corrida para relaxar pelo entorno
Depois surgiram os treinos na Av. Getúlio Vargas com Contorno, quando conheci o Mestre Mão Branca. Duas grandes lendas da Capoeira de Belo Horizonte, entre outros. Das rodas de capoeira três ficam em destaques: a da Feira (como chamávamos a Praça da Liberdade ) de 5a. e de Domingo, a da Praça Sete .
A verdadeira Capoeira de Raiz onde sua arte ainda preservava a tradição arraigada da cultura afro sem o excesso de malabarismo e acrobacias como se vê em algumas rodas atuais.
O texto sobre o grupo Eu Bahia é retrato fiel da História da Capoeira em Belo Horizonte.
Obrigado ao Grande Mestre Dunga pelos ensinamentos.
Parabéns aos idealizadores deste site.
Francisco (o Sisco)

Data: 28/10/2013

De: Starling

Assunto: Amadeu no Exercito

De 1973 a 1975 fui tenente da 1ª Companhia Operacional - Cia Anti Guerrilha no 12º BI, cujo comandante da Cia era o capitão De Bisai, onde o soldado Amadeu servia.
Eu era também instrutor de Karatê do Exercito, mas como Amadeu praticava Capoeira, ele não era obrigado a fazer Karatê, já que era bom de luta.
Era uma pessoa carismática, leal e com ótima disponibilidade para as missões a ele determinadas.
Era o único soldado do batalhão que tinha permissão para avançar duas vezes no Rancho.
Bons tempos. Seria interessante reencontrá-lo.
Starling - 2º Tenenente Cia Operacional - AG 12º BI 73, 74 e 75

Novo comentário